Dias diz que corrupção atrapalha a governança

Políticas da União
466
0
sample-ad

O senador Alvaro Dias (PV-PR) disse, em Plenário, que a continuação do modelo brasileiro de governança com base na prática da corrupção tem elevado a carga tributária e esgotado a capacidade do Poder Público de investir em setores essenciais, como segurança, educação e desenvolvimento. O senador afirmou que a ideia de que “governabilidade deve rimar com promiscuidade” levou ao aumento da dívida pública, ao aparelhamento do Estado e ao loteamento de cargos públicos e, por fim, resultou na crise econômica enfrentada pela população. “Enquanto esse sistema de governança prevalecer, o Brasil não vai alcançar os índices de crescimento compatíveis com a sua grandeza e, sobretudo, com a grandeza do seu povo”, disse o senador em seu discurso no Plenário da Casa.

Reforma trabalhista prevê demissão consensual

O substitutivo à proposta de reforma trabalhista (PL 6787/16), do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), incluiu a previsão de demissão em comum acordo. A alteração permite que empregador e empregado, em decisão consensual, possam extinguir o contrato de trabalho. A medida gera a obrigação ao empregador de pagar metade do aviso prévio, quando indenizado, além de indenização sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Neste caso, o trabalhador poderá movimentar 80% do FGTS depositado na sua conta e não terá direito ao Programa do Seguro-Desemprego. Atualmente, a CLT prevê o pedido de demissão pelo empregado, demissão por justa causa ou desligamento sem justa causa.

PF indiciou 63 pessoas na Operação Carne Fraca

A Polícia Federal concluiu o relatório final da Operação Carne Fraca (foto), que investigou um esquema de fraude e corrupção em frigoríficos do país e indiciou 63 pessoas sob suspeita de corrupção, crime contra a ordem econômica e falsificação de produtos alimentícios, entre outros crimes. Fazem parte da lista 19 fiscais agropecuários, sete pessoas ligadas a esses servidores públicos, 13 sócios e 12 funcionários de frigoríficos – sendo um diretor e três gerentes. Entre os indiciados estão o ex-chefe da Superintendência do Ministério da Agricultura no Paraná, Daniel Gonçalves Filho; o diretor da BRF, André Cassou, e os sócios do frigorífico Peccin, de Curitiba. O indiciamento significa que a pessoa é suspeita de ter cometido um crime, o que será apurado durante o inquérito.

Comentários com Facebook

POST A COMMENT.